Campina Grande

 

Campina Grande: Pioneirismo e Inovação

Inovação e Pioneirismo têm sido as duas características da segunda maior cidade da Paraíba; considerada um dos principais pólos tecnológicos da America Latina. Estes dois qualitativos caracterizam sua gente, suas instituições e seus empreendedores.

De acordo com estimativas do IBGE, a população de Campina Grande é de aproximadamente 400 mil habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Paraíba, além de ser o 56º maior município brasileiro e o 12º maior município interiorano do Brasil. Sua região metropolitana, formada por 23 municípios, possui uma população estimada em 687.545 habitantes, sendo a maior zona metropolitana do interior nordestino, quarta maior zona metropolitana do interior brasileiro, 24ª maior do Brasil e 787º maior do mundo.

A cidade é uma das mais pulsantes do interior do Norte-Nordeste, com um calendário de eventos que movimenta o setor de serviços e a economia, destacando-se os festejos de São João, que acontecem durante todo o mês de junho; o Encontro da Nova Consciência, um evento ecumênico realizado durante o carnaval; além do Festival de Inverno e outras 20 iniciativas.

Campina Grande também é conhecida como cidade universitária, com 16 universidades, sendo três delas públicas. É comum estudantes do Nordeste e de todo o Brasil virem morar no município para estudar nas universidades locais. Além de ensino superior, o município oferece capacitação para o nível médio e técnico.

Conforme a Junta Comercial do Estado da Paraíba, o município é líder no chamado Compartimento da Borborema, nos vários setores da agropecuária, extração vegetal, pesca e agricultura, indústria extrativista, indústria de transformação, construção civil, comércio varejista, comércio atacadista, transporte e comunicações. Abrigando os pólos de Couro e Calçado, Têxtil e Vestuário; Tecnologia, Ensino e pesquisa nas áreas do algodão comum, algodão colorido (já nasce geneticamente colorido) e mineral não-metálicos.

A cidade tem um excelente serviço de comércio, com modernos centros de compras no varejo e no atacado, que contribuem para formar o segundo maior PIB entre os municípios paraibanos, representando 15% do total das riquezas produzidas na Paraíba, e o 128º maior PIB entre os municípios do Brasil. Uma evidência do desenvolvimento da cidade nos últimos tempos é o ranking da revista Você S/A, no qual Campina Grande aparece como uma das 10 melhores cidades para se trabalhar e fazer carreira do Brasil, única cidade do interior entre as capitais escolhidas no país. A cidade é considerada, ainda, um dos principais pólos industriais da Região Nordeste e o maior pólo tecnológico da América Latina, segundo a revista norte americana Newsweek. Campina Grande foi indicada também pelo jornal a Gazeta Mercantil, como a cidade mais dinâmica do nordeste e 6ª cidade mais dinâmica do Brasil.

Várias entidades colaboraram para o desenvolvimento econômico de Campina Grande: a Associação Comercial e Empresarial, fundada em 1926, portanto, com 85 anos de fundação, é uma delas. A Federação das Indústrias do Estado da Paraíba ( FIEP), criada em 17 de julho de 1949, é outra importante instituição de congregação do empresariado paraibano. A Câmara dos Diretores Lojistas (CDL), o INSA – Instituto Nacional do Semi-Árido, o Parque Tecnológico e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), são responsáveis por esse processo de desenvolvimento de Campina Grande.

 

Fernando Soares
Jornalista